MENU

Poesia Acústica 4

Poesia Acústica #4 - Todo Mundo Odeia Acústico - Bob | Mv Bill | Froid | Djonga | Azzy | Delacruz


Original
FALATUZETRÊ REACT
DNASTY REACT
Notícias sobre Poesia Acústica #4
Poetisas no Topo
Poesia Acústica #3

Pineapple StormTV - Poesia Acústica #4 - Froid & Bob (Contra Corrente) - Letra da Música

[Intro: Bob]
Salve, Brainstorm Estúdio
Pinneaple, Slim, Malak, Paulo
Contra Corrente tá em casa

[Verso 1: Bob]
Amar
Inimigos não, não, não, não
Amor, eu só quero amor
Eu só quero amar
Se tem uma coisa uma coisa que eu não entendo, é o seu critério
Vive se medicando mas nunca provou o remédio



[Verso 2: MV Bill]
Eu sei que isso é foda, nosso barulho te incomoda, isso é coisa preto na visão do Willian Waack

[Verso 3: Froid]
Choveu semente e cresceu uma planta
Isso tudo fez chover polícia
Encher um ônibus só com os mais bronca
Fecharam mentes, shoppings, avenidas
Comunismo já morreu faz tempo
No cimento da casa da Frida
E o dinheiro morreu por dinheiro
Com a veia entupida porque a morte é viva
O que sobrou pra quem só faz poema?
Acho que isso as vezes vale a pena
Ser a vida, ser alternativa



Pr'uma nova vida e tentar ser apenas
Ser a cena, ser a sua novela
Ser a, ser a, sera mesmo cela
Preso a ela, sério mesmo, a vera
Destruir o inverno tipo primavera
Ganja girl eu tava com saudade
Você lembra bem daquele dia
Eles nunca viram essa magia
Imagina a cara deles, linda
Aquelas cores e aquelas coisas
E lembra muito d'onde eu conhecia
Seus olhos brilham toda vez que eu olho
Faz até o ouro ser bijoteria



Me da calor que eu sou hipotermia
Eu sou Alaska, você já sabia
Eu sei tá lindo, quanto a gente tem
Mas eu nunca esqueço quanto a gente tinha
Filma isso porque o clima
É isso aqui que a gente cria
Faz piada, faça pouco caso
Faça algo, só num banaliza
Acaba logo com essa monarquia
E legaliza, o verde-oliva
Engana o mundo, mano
Leva tudo, mano
Estraga o ser humano
Só num rouba a brisa



[Djonga]
Ela me chamou pro luau
Mas eu odeio acústico
Me disseram: "pra abstrair só dá uns puxo, po"
Me dei ao lixo, ô
De não levá-la pra cama
Talvez por isso ela volte até hoje
Toda semana
Irmão, lá vem ela
Descendo a ladeira
Se deita na cama, eu desço a madeira
Emoção, preocupada com o beijo da fera
Razão, se preocupa com o preço da feira
Quer a sorte de um amor tranquilo
A mordida do gosto da pêra, pera
Te conheço de outras vidas



Eu tenho sete, é que eu sou um gato
Ela diz que se o jogo vira
Vo tá cheio de grana e mulher pra me dar
Já virou há um tempo amor
Eu tô cheio conta e um menor pra criar
Eu tô cheio de ponta e o pior pra fumar, ó
Alcool, sexo, sono
Somos um quando damos a mão
Levei umas mina pra cama que só o sono leva
Eu durmo com a peça do lado, eu tenho sono leve
Se o proceder me chama
Digo que não me espere



O sexo foi longo, o nosso amor foi leve
Ô nanana, ô nanana
Meu vício é correr atrás de tudo aquilo que acredito
Então vê se me esquece, é
Ô nanana, eu vou te falar
Geografia da vida, lógica do morro
Sempre que um sobe outro desce
Falar de paz, só se for com as paredes
Já que até elas tomaram tiro
A angústia do artista que se arrisca
É saber que só o fut' interessa
Que eu não seja mais um adereço
Se lembrar escreve, me endereça
Abre seu peito, vê se me escuta
Eu te amo sua filha da puta



[Azzy]
A deusa Luz guia, ó Deus a rua é suja...

[Delacruz]
Deus é pai, me dê sua mão
Me abraça amor, pode ser a solução
Já me cansei dos meus próprios porquês, amar amei, doeu e hoje eu vim queimar buquês!


[Intro: Bob]
Salve, Brainstorm Estúdio
Pinneaple, Slim, Malak, Paulo
Contra Corrente tá em casa

[Verso 1: Bob]
Amar
Inimigos não, não, não, não
Amor, eu só quero amor
Eu só quero amar
Se tem uma coisa uma coisa que eu não entendo, é o seu critério
Vive se medicando mas nunca provou o remédio



[Verso 2: MV Bill]
Eu sei que isso é foda, nosso barulho te incomoda, isso é coisa preto na visão do Willian Waack

[Verso 3: Froid]
Choveu semente e cresceu uma planta
Isso tudo fez chover polícia
Encher um ônibus só com os mais bronca
Fecharam mentes, shoppings, avenidas
Comunismo já morreu faz tempo
No cimento da casa da Frida
E o dinheiro morreu por dinheiro
Com a veia entupida porque a morte é viva
O que sobrou pra quem só faz poema?
Acho que isso as vezes vale a pena
Ser a vida, ser alternativa



Pr'uma nova vida e tentar ser apenas
Ser a cena, ser a sua novela
Ser a, ser a, sera mesmo cela
Preso a ela, sério mesmo, a vera
Destruir o inverno tipo primavera
Ganja girl eu tava com saudade
Você lembra bem daquele dia
Eles nunca viram essa magia
Imagina a cara deles, linda
Aquelas cores e aquelas coisas
E lembra muito d'onde eu conhecia
Seus olhos brilham toda vez que eu olho
Faz até o ouro ser bijoteria



Me da calor que eu sou hipotermia
Eu sou Alaska, você já sabia
Eu sei tá lindo, quanto a gente tem
Mas eu nunca esqueço quanto a gente tinha
Filma isso porque o clima
É isso aqui que a gente cria
Faz piada, faça pouco caso
Faça algo, só num banaliza
Acaba logo com essa monarquia
E legaliza, o verde-oliva
Engana o mundo, mano
Leva tudo, mano
Estraga o ser humano
Só num rouba a brisa



[Djonga]
Ela me chamou pro luau
Mas eu odeio acústico
Me disseram: "pra abstrair só dá uns puxo, po"
Me dei ao lixo, ô
De não levá-la pra cama
Talvez por isso ela volte até hoje
Toda semana
Irmão, lá vem ela
Descendo a ladeira
Se deita na cama, eu desço a madeira
Emoção, preocupada com o beijo da fera
Razão, se preocupa com o preço da feira
Quer a sorte de um amor tranquilo
A mordida do gosto da pêra, pera
Te conheço de outras vidas



Eu tenho sete, é que eu sou um gato
Ela diz que se o jogo vira
Vo tá cheio de grana e mulher pra me dar
Já virou há um tempo amor
Eu tô cheio conta e um menor pra criar
Eu tô cheio de ponta e o pior pra fumar, ó
Alcool, sexo, sono
Somos um quando damos a mão
Levei umas mina pra cama que só o sono leva
Eu durmo com a peça do lado, eu tenho sono leve
Se o proceder me chama
Digo que não me espere



O sexo foi longo, o nosso amor foi leve
Ô nanana, ô nanana
Meu vício é correr atrás de tudo aquilo que acredito
Então vê se me esquece, é
Ô nanana, eu vou te falar
Geografia da vida, lógica do morro
Sempre que um sobe outro desce
Falar de paz, só se for com as paredes
Já que até elas tomaram tiro
A angústia do artista que se arrisca
É saber que só o fut' interessa
Que eu não seja mais um adereço
Se lembrar escreve, me endereça
Abre seu peito, vê se me escuta
Eu te amo sua filha da puta



[Azzy]
A deusa Luz guia, ó Deus a rua é suja...

[Delacruz]
Deus é pai, me dê sua mão
Me abraça amor, pode ser a solução
Já me cansei dos meus próprios porquês, amar amei, doeu e hoje eu vim queimar buquês!


Mais de sanderlei.com.br

Música - Song
Em alta - Trends - Hot Videos
Tudo que rola no mundo musical, incluindo Billboard hot 100, música brasileira e muito mais.

PDF Domínio Público
Livros em PDF para Download
Lista completa de Livros em PDF para Download em Domínio Público

Just Go - Viagem Volta ao Mundo
#JustGo - Sanderlei Silveira